Colunistas

Liturgia Passo a Passo

01/10/2018

Qual é a importância da Palavra de Deus na celebração litúrgica?

Por Luiz Miguel

Indicar a um amigo:





A palavra de Deus é o grande “motor” de toda a obra criadora e redentora de Deus. Sua palavra tem o poder de fazer existir: “E Deus disse: ‘Haja luz!’ E houve luz” (Gn 1,3). É a palavra de Deus que põe em marcha Abraão, no início da História da Salvação: “Saia da sua terra… e vá” (Gn 12,1). É a palavra de Deus que suscita o grande líder Moisés, para que arranque da escravidão do Egito os “filhos de Israel” e os conduza à Terra prometida (cf. Ex 3,10ss). É a palavra de Deus que orienta os profetas e os constitui guias espirituais do povo eleito.

É a palavra de Deus que se faz gente: “A Palavra se fez carne e armou sua tenda entre nós” (Jo 1,14). Palavra viva, humana, palpável, a palavra mais bonita pronunciada pelo Pai, Jesus de Nazaré: “O que existia desde o princípio, o que temos ouvido, o que temos visto com nossos olhos; o que temos contemplado e nossas mãos têm apalpado – a Palavra da Vida – estamos anunciando a vocês” (1Jo 1-3).

Jesus assume o nosso modo de vida e se entrega ao Pai a fim de nos resgatar do pecado e abrir para nós as portas da comunhão com Deus para sempre.

É a palavra de Deus, contida nas Sagadas Escrituras, que vem alimentar os cristãos de todos os tempos e lugares, iluminando-lhes os passos, sustentando-os na caminhada e na lida cotidiana.  A palavra de Deus é, sem dúvida, um dos grandes pilares da espiritualidade cristã. Utilizada de modo abundante em toda parte onde os cristãos se reúnem, torna-se presente de modo eminente nas celebrações litúrgicas, principalmente na administração dos sacramentos da Igreja.

O Concílio Vaticano II realçou a importância da palavra de Deus, afirmando que Deus “está presente na sua palavra, pois é ele que fala ao ser lida na Igreja a Sagrada Escritura” (SC 7). Então, é salvação oferecida em tempo real, no momento em que o fiel participa da celebração litúrgica. Quando Deus comunica sua palavra, naturalmente espera nossa resposta. Resposta de amor. Nisso somos incentivados pela Carta de Tiago: “Sejam praticantes da Palavra, e não somente ouvintes” (Tg 1,22).

O bem-aventurado Tiago Alberione, fundador dos Paulinos, dizia: “Quando vocês estão tristes, abram a Bíblia, e encontrarão algo que os consolará. Do mesmo modo, nas horas de dúvidas ou de temor: façam como os santos que, nesses momentos, recorriam à fonte. Deus dirige e conduz”.

nenhum comentário