Cursos
Cursos realizados

São Paulo/SP | Diálogos do SUAS – oficina 1 – O papel do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos na convivência escolar

1. Apresentação:
A Política de Assistência Social apresenta como um dos seus principais desafios a proximidade com os territórios e as manifestações de suas expressões da questão social e a partir desse levantamento coloca-se como meta da esfera pública através do trabalho da rede de atendimento à população, o enfrentamento dessas demandas sociais.
Compreende-se que a intervenção de uma única Política Pública não é o suficiente para atuar junto às mazelas presentes na atualidade. Coloca-se um outro desafio para as políticas da assistência social e da educação, por exemplo. O desafio posto é o de articulação entre as instituições, nos territórios. Lembrando que cada um desses espaços, sendo representativo na execução de uma política, logo possui particularidades – tem algo em comum: ambas têm como prioridade a proteção de crianças e adolescentes e suas famílias.
Portanto, faz-se necessário refletir sobre a convivência e fortalecimento de vínculos a partir da dinâmica escolar mas para além dos ‘muros das escolas’, viabilizando que experiências e conhecimentos territorializados possam ser viabilizados e fortalecidos.

2. Objetivos:
Gerais:
– Refletir de forma crítica, lúdica e dialógica a importância da convivência e fortalecimento de vínculos na relação educadores e crianças/adolescentes, no cotidiano escolar e para além dele.

Específicos:
– Compreender as principais ideias acerca do conceito de convivência e fortalecimento de vínculos;
– Conhecer os principais limites e desafios dos educadores;
– Sistematizar possíveis soluções para um melhor desempenho da convivência e fortalecimento de vínculos na escola.

3. Público-alvo:
Trabalhadores da Rede Socioassistencial e da Rede Pública de Ensino

4. Conteúdo programático:
– Convivência e fortalecimento de Vínculos;
– Papel dos educadores, da escola e família;
– Quem são as crianças e adolescentes da rede pública de ensino.

5. Metodologia:
Para realização desta oficina, iremos dividi-la em três momentos:
– Primeiro Momento: Técnica “Brainstorming”
Dinâmica de grupo com o objetivo do levantamento de quaisquer ideias acerca do tema convivência e fortalecimento de vínculos na dinâmica escolar.

– Segundo Momento: Atividade em Grupo
Iremos assistir um video (à definir) de aproximadamente 4 minutos para instigar a reflexão sobre o cotidiano relacional dos educadores com as crianças/ adolescentes na escola e para além dela.
Os participantes em pequenos grupos irão responder a questão central sobre o papel da convivência e fortalecimento de vínculos a partir de suas experiências.
Um representante de cada grupo irá apresentar a síntese de cada reflexão.

– Terceiro Momento: Sistematização da Atividade
Espera-se após a visualização de algumas possibilidades em comuns ao cotidiano de trabalho dos participantes, a facilitadora irá sistematizar as principais ideias acerca do tema da oficina, buscando indicar possíveis soluções que possam estar impedindo uma melhor confluência entre a assistência social e educação.

6. Bibliografia:
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social. Orientações técnicas sobre o Paif. Brasília, 2012. v. 1 e 2.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS. Secretaria Nacional de Renda e Cidadania. Instrução Operacional Conjunta nº 19. Brasília, 2013. Disponível em: http://www.mds.gov.br/webarquivos/legislacao/bolsa_familia/instrucoes_operacionais/2013/io_conjunta19_senarc_snas.pdf Acesso em: 5 de mai. 2019.

_______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS. Secretaria Nacional de Renda e Cidadania. Norma Operacional Básica do Sistema Único de Assistência Social. Brasília, DF, 2012.

______. Constituição Federal de 1988. Brasília, DF, 1988. Disponível em: . Acesso em 03.05.2013.

______. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária/ Secretaria Especial dos Direitos Humanos. – Brasília-DF : Conanda, 2006.
______. Política Nacional de Assistência Social, 2004.
______.Estatuto da Criança e Adolescente, LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

CAMPOS, Marta S. Família e proteção social: alcances e limites. In: ZOLA, M. B. Cooperação internacional para a proteção social de crianças e adolescentes – O Direito à Convivência Familiar e Comunitária. São Bernardo do Campo, SP: Fundação Criança, Intermídia Editoração Gráfica, 2008. Edição poliglota: português/ espanhol/ italiano/ francês. Vários tradutores.

Um Mundo para as Crianças. Relatório da Sessão Especial da Assembleia das Nações Unidas sobre a criança. Em: https://www.unicef.org/brazil/pt/um_mundo.pdf.

Informações Úteis

Investimento

Gratuito

Data

Sexta-feira

Duração

24/05/2019 à 24/05/2019

Horário

Das 13h00 às 17h00

Carga Horária

08 horas (04 horas palestra + 04 horas oficina)

Vagas (1)

60

Local

CCA Paulus – Rua Dias Velho, 213 - Vila Primavera - Freguesia do Ó - São Paulo/SP

Professores

Profa. Dra. Mirela Ferraz

Doutora (2014) e Mestre (2008) em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Especialista (2005) em Sociologia Política pela Universidade Federal do Paraná. Graduada em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2004), e professora universitária. É pesquisadora na área de Serviço Social, com ênfase nos temas de política social/ pública, gênero/ raça / trabalho e formação profissional em Serviço Social.
http://lattes.cnpq.br/2408320114526060

Inscreva-se